No obscurantismo de quase duas horas madrugada afora, recobrei meus sentidos literários movendo-me para continuar e terminar essa obra tranquila, serena e apaziguante. A melhor parte da história deste caminhar ainda contarei em momento futuro, ao qual o Músculo Supremo acalmará seu Compasso e destinará A Perfeita Trilha que tanto buscava…

Ao som da Musa Adele, resolvi traçar estas linhas ainda que, por insistência outrora, informaram à minha pessoa que seria um percalço sem fins lucrativos. E quem aqui está preocupado com o sabor financeiro de uma obra de arte? Eu não estou.

Várias vezes ouvi um dos melhores sucessos dessa compositora inigualável e, neste momento, pressinto a vontade de compartilhar a minha humilde, tranquila e emocionante opinião também por uma obra perfeita de arte; Uma música que transformou, transforma e transformará milhares de pessoas em busca de sua virtuosa conquista particular.

“Someone Like You” é um hit musical mundial onde, por muitos anos, várias músicas similares foram compostas, digamos neste instante, nenhuma delas fora Justa e Perfeita; Um caminhar de seus compositores por uma área árdua, sofrendo de situações privativas mas que, em certo momento, resolvem dividir essa dor profunda onde futura e sabiamente atingirão seu principal objetivo: Chegar ao Nirvana e “virar a página” de sua preciosa e única Vida!

Devemos então definir esse Chafariz de Emoções como um experimento diário quase que desconhecido pela totalidade dos Cristãos: O Desapego. Inverter esse costume perfurado é um dos mais difíceis de realizarmos. Apegamos por imagens, por matéria, por VOZ, como da Musa Adele, mas a pior influência desse “mandamento mal explicado” está na psicologia inacessível pela maioria dos sofredores terrestres: A vontade de equilibrar-se com o próximo!

Essa vontade de igualar-se ao vizinho, ao colega de trabalho, no limiar da loucura incessante de aquisições materiais rebaixa o ser não humano no sentido literal e intransponível da palavra. Essa busca por igualdade será momentânea, enfim é indicado demonstrar que o Desapego é uma prática diária, assim como o Amor, a Esperança, empunhando a Espada no limite praticante das igualdades não atingidas. O que mais surpreende é a concorrência diária para estabelecer um Nirvana imaginário. Atingi-lo é missão unitária, embora muitos insistam na coletividade familiar. A família ajuda, mas a escolha, é solitária!

Enfim, ouvir essa música chega a ser prioridade para qualquer pessoa que estime aproximar-se do outro, de coração Limpo e Puro. A virtude exalada nas palavras da Musa Adele comovem, impressionam, impulsionam, e absorvem. Quanto mais choro, mais essa canção cravará em meu Músculo Supremo. Mas, até quando esse sentimento despertará tantas emoções? Vai Saber…

• Vai Saber é uma obra de Guilherme Oliveira Magalhães. A crônica descrita pode ser copiada desde que citado o autor e, portanto, contatando-o através do email magalhaes.guioliveira@gmail.com

• Crônica  escrita em 08 de dezembro de 2013 e reeditada em 21 de julho de 2016