Esse fim de semana fora devastador…. Eu não lembrava, há tanto tempo, o que era uma falta de ar, pressão alta, tristeza revivida, e principalmente, o adormecimento!

Ao saber de um grande amigo adormecer eternamente, me seguram as ações, porém as borbulhas lacrimais não enganam ninguém. Foi então que comecei, junto a Grandes Amigos e Irmãos, uma peregrinação que não tenho vontade alguma de reviver. Mas quem sou eu para mandar no próprio Destino?

Exatamente. Sou apenas mais um. Somando uns aos outros, vamos nos olhando nos olhos vermelhos, faces inchadas, mas com um propósito somente, o de entender o porquê desse Universo ser tão aniquilador. Qual seria a cobrança existente para que cada um de nós voltasse a compreender o motivo que um grande e alegre amigo adormeceria?

Ah como queria responder essa pergunta…. Algumas respostas até posso ter, mas ao enxergar o material adormecido que combate a nossa mente precocemente alterada, as emoções afloram e te surpreendem! Não há espaço para entender o presente. Não há como ligar a sua máquina de viagem ao tempo e apagar tudo isso. E simplesmente, acontece.

O que podemos fazer para amenizar todo esse sofrimento coletâneo? Agruparmos mais e mais vezes. Reunirmos. Exaltarmos! Essa é a diferença crítica que um ser humano conquista dia após dia, e é lógico que O Ir e Vir tem um preço justo a ser pago, mas nunca será cobrado! Os que cobram, e se é que o fazem, são propensos a fazer estas ações por mais e mais vezes, até que no momento da cobrança eles possam… doar.

E como seria essa doação? Olha, tu já fizeste isso ao abrir os olhos. Lembraste que possui parentes queridos, alguns amigos presentes na tua cidade, outros fora dela, outros fora do país que vivemos. Mas ao lembrar de alguns, senão de todos, tua Doação fora Justa e Perfeita. Esse é o caminho mais feliz que podemos seguir…. Porque nunca contamos regressivamente o nosso Time Line! Somos seres evolutivos, e por esse principal motivo, lutamos pela propagação da Vida!

Então tu queres me dizer que, brincamos de Deuses de vez em quando? Bem, podemos até brincar, mas o resultado é o esperado? Vai Saber…

• Esta crônica fora especialmente escrita póstuma ao Grande Amigo e Irmão Joaquim José Corrêa, que celebra a partir de 13/07/2019 seus movimentos festivos para todos que o acompanham, e acompanharam em outro estado transcendental

• Vai Saber é uma obra de Guilherme Oliveira Magalhães. A crônica descrita pode ser copiada desde que citado o autor e, portanto, contatando-o através do email magalhaes.guioliveira@gmail.com

• Crônica escrita em 14 de julho de 2019

 

Anúncios