Vários segundos passam após as vinte e duas horas e quarenta minutos. Enxerga-te o momento passivo de lembranças puras, juvenis e aconchegantes! Este instante inesquecível não passa por sobriedade, onde o mais comum entre os termos seria a de livre aquisição de um reprodutor mental dos acontecimentos retilíneos…

 
Em momentos solenes de sério acordo coletivo, chega-se a pensar que o futuro próximo fica ardido, longínquo e apertado. É por uma questão de visão que entendemos esses valores, no momento exato em que estes foram dirigidos para salientar a importância que as pessoas conviventes ao seu redor irradiam, dentre outros aspectos sensoriais, vida, alegria, abundância ou restrição!

 
É preciso descrever a sensação do Músculo Supremo em relação a paixões antigas, revitalizadas e, principalmente, apontadas entre os quatro cantos do batalhar incessante do aprendizado. A fartura inibe o ser, e pode auxiliar em vários aspectos fúteis, e sendo assim, a única liberdade que alcançaremos é a exata caçada à Luz e Sabedoria.

 
Sim, concordo, teremos dificuldades sempre. E, todavia, a indicação sempre será bem-vinda!! Estamos prestes a adentrar a uma nova Era, se já não a encontramos, e por aí revirar momentos que antes pareciam fúnebres, isolados, cimentados. Eis então um momento solene de, caso venha a te atingir como nunca esperasse, rebater a bala prateada que lhe acertara! Como estamos ainda a entender o que se passa nesse mundo, estendemos a mão aqueles que realmente podem fazer diferença significativa no instante!

 
Ah, vós preocupastes? Ótimo! É exatamente o que pensamos que aconteceria quando leste esta crônica. O ser, por mais imerso que esteja em vossa conjuntura, será sempre um indagador, um inquisidor de respostas nunca antes buscadas. Entre algumas Colunas, podemos ver que o Brilho Incessante dessa pessoa, destoa das demais. E é nesse momento que encontramos o verdadeiro Iluminar do futuro. Se perguntas a mim o que é este momento, Eu não podereis responder.

 
Quando tu verdes algo parecido, lembrará deste pedaço de papel. Porém, até quando buscaríeis uma Iluminação parecida? Vai Saber…

• Vai Saber é uma obra de Guilherme Oliveira Magalhães. A crônica descrita pode ser copiada desde que citado o autor e, portanto, contatando-o através do email magalhaes.guioliveira@gmail.com

• Crônica escrita em 24 de março de 2019

Anúncios