Ao som de músicas dos anos 80 escrevo estas singelas palavras para reforçar, ou relembrar a vários de vocês a vontade necessária de se conectar, religar a antigos ou presentes amigos e familiares. Essa poderosa ação, que ultrapassou os limites esperados nos próprios anos 80 hoje, nos demonstra a mais pura Conexão!

Veja assim, por quanto tempo você consegue ficar longe e sem tocar em seu aparelho smartphone? Segundos será a palavra chave. Ou familiares estão lhe informando e/ou pedindo algo, ou amigos o solicitando para reuniões, ou algum empecilho distante chega as vossas mãos por meio deste importantíssimo bem material.

Poderíamos viver aquém dele? Difícil. Mas seria imprudente ao mínimo comentar negativamente a respeito. Conheço algumas pessoas, que posso contar nos dedos (e tenho todos eles) das mãos, que não chegam perto de tal suprimento. Sim eu agora o denomino de suprimento, pois é quase que essencial para que façamos o que temos condições de fazer diariamente. E com a ajuda deste dispositivo.

Em momentos de desespero essa Conexão chega a ser essencial. Fato. Entretanto, a armadilha provém do excesso de bom senso quando não utilizamos da tranquila Conexão indevidamente. Temos que usar da parcimônia e sermos independentes, apesar dos sistemas regidos hoje em nosso país e mundo. Esse instantâneo método de mensagem pode ser, por várias vezes, prejudicial ao nosso redor. O que ocorre é a incoerente retransmissão de notícias, memorandos, artigos sem os quais foram verificadas a veracidade. E é nesse momento que precisamos de utilizar a devida precaução antes de encaminhar tal fato.

Erros e acertos. Pense quantas vezes a sua Conexão falhou. Não estou falando do momento certo de comunicar com alguém via dispositivo eletrônico. E sim, daquele momento em que tentou falar com alguém, tentou alegrar alguém, tentou assoberbar o que te chamou atenção. E não conseguiste sair do lugar. Não te aflijas! Isso é, por mais que ache “vergonhoso”, ou “exagerado”, é prudente! É o teu Músculo Supremo lhe resguardando! É quando você percebe que a Conexão existe, mas vai além de suas próprias ações!

Isso seria demasiadamente exagerado se não fôssemos seres humanos, perseverantes e, algumas vezes, persuadidos. Porém, quem poderá lhe extirpar a vossa Conexão? Vai Saber…

• Vai Saber é uma obra de Guilherme Oliveira Magalhães. A crônica descrita pode ser copiada desde que citado o autor e, portanto, contatando-o através do email magalhaes.guioliveira@gmail.com

• Crônica escrita em 05 de agosto de 2018

Anúncios