Sempre digo que a Vida é imprescindível. Mas isso não é necessário dizer. O que é importante frisar, é que Sempre estaremos juntos, apesar de tudo, e de todos!

Juntos como? Sempre, de que maneira? Bem, imagine sua Vida, nesse momento, sem a pessoa que mais você a afeiçoa…

Sofreste um baque? Exato! Esse é o valor tempo-espaço do Sempre. Sempre estaremos juntos, Sempre estaremos sorrindo juntos, Sempre estaremos cantando juntos, Sempre estaremos caminhando juntos…

A vastidão faz o necessário por nós todos. Ela inclusive norteia algumas pessoas para que, em um segundo de ilusão, sejam estes soberanos da razão! Imagine então, o árduo divisor que essa pessoa enfrentará: Eis aqui o que Sempre resolvi, o que Sempre decidi, mas tenho que trespassar uma barreira que não pensava ser necessária! O que devo fazer?

Eu não tenho a resposta para essa pergunta. Mas tenho uma resposta para a sua dúvida: Pare agora e respire fundo… ouça-o! Esse som que começa e lhe preencher, você já sabe o que é! Escuta-o mais alto, vibrante, determinante! Esse som, é ELE sim, teu Músculo Supremo! Ditando as vossas regras segundo após segundo, sem titubear momento algum para que, incessantemente, você Sempre tenha que seguir a trilha constante do Mármore resvalado por esperanças dilaceradas instantaneamente nos teus segundos de ilusão! Ele aparece, e reacende nos momentos únicos de Paixão fortemente apagados, para que você tenha Sempre o rumo correto a perseguir! Esse padrão, verás com o teu dia a dia, mês a mês, ano a ano, década a década, indubitavelmente que é a escolha correta podendo Sempre que desejar… olhar para trás!

Porém vai aqui, particularmente uma dica: O quanto menos olhar para trás, e seguir em frente, melhor será! A não ser que você ame viver de passado, o que ficou para trás apenas lhe serviu de aprendizado. E, portanto, seu caminhar será Sempre dessa maneira? Vai Saber…

• Vai Saber é uma obra de Guilherme Oliveira Magalhães. A crônica descrita pode ser copiada desde que citado o autor e, portanto, contatando-o através do e-mail magalhaes.guioliveira@gmail.com

• Crônica escrita em 14 de maio de 2018

Anúncios