Exatamente quatro horas da matina… Ainda procuro o Ser Supremo existente em cada um de nós…

Procuramos incessantemente a vida proliferada em cada um de nossos semelhantes… A razão? Digo-lhes: A Esperança move o mundo.

A Esperança executa mudanças em cada um de nossos interiores… A pesquisa incessante nunca termina… A procura existe por tanto tempo que esquecemos a razão de nossa vida presente, deixando nossos corpos e flutuando ambientalmente enquanto buscamos nosso pequeno mundo aplicativo e obsoleto…

Oh a Esperança… Quantas pessoas tentaram determinar a quantidade desta realidade importantíssima existente em cada pessoa, cada Cabala… Ela vive… E revive!

O pior de tudo é a agonia desenvolvida no momento… Almeja-se sempre a congratulação de nossas almas vagando pelo mundo místico, alcançando a razão de estarmos sempre unidos… Na tristeza, alegria ou desavenças. Ë impressionante o quanto pedimos à Ele que orientei nossa trilha, proliferai nosso sentimento e encontrai a Luz escondida na neblina acamada de nossos segredos profundos…

Pela procura, acendemos a chama incessante de nosso Músculo Supremo. A caminhada… A orientação… Tudo (e todos) leva a crer que nossa Esperança está, na realidade, virtualmente em cada segundo passante de nossas vidas. Ela vem… E desaparece… Objetivando a pesquisa que nunca concluiremos. Porém, Ela existe.

Onde ela estabelece-se? Conseguiremos compreender a profundidade da verdadeira Esperança? Vai Saber…

• Vai Saber é uma obra de Guilherme Oliveira Magalhães. A crônica descrita pode ser copiada desde que citado o autor e, portanto, contatando-o através do email magalhaes.guioliveira@gmail.com

• Crônica  escrita em 23 de maio de 1998 e reeditada em 11 de julho de 2016

Anúncios