Há algum tempo escrevi sobre Amor… Uma palavra linda, de quatro letras e duas sílabas. E, neste momento, entendo que o Amor é mais transparente, preciso e simultâneo do que imaginamos.

Afinal de contas, porque hoje em dia estamos tão despreparados a amar? Seria o dia a dia corrido, as nossas vidas passando diante dos nossos olhos com uma preocupação do dia seguinte? Será a perseguição ideal do momento preciso do Amor? Será que a nossa busca resume-se a Amar mais do que podemos?

É fácil. A fórmula? Simples. Momentos. Estamos aqui, no planeta Terra, por alguns anos. Aprendemos a viver. A caminhar. E também a Amar. Esse último detalhe – reparem nos ensinamentos evolutivos, fica esquecido! Às memórias, ao passado! Esse é o momento ideal de lutar pelo Amor… próprio! Sim, você esquece de SE amar! E, nesse momento, sorrisos invisíveis invadem seu coração. Uma ternura branda… Um momento esquecido, uma vontade determinada!

Eu não consigo falar de Amor se não estiver apaixonado. A última vez que escrevi, fora há quase 20 anos. Mas me preparei mais uma vez. Descobri, junto com meus amigos, mais uma razão de estar aqui: A razão de querer o Amor de alguém para me solidificar, para me determinar, e principalmente, para me ensinar!

Amar não é difícil. Mas enfim, porque criamos tantas Muralhas Platinadas em torno desse conceito lindo, soberbo e presencial? Porque batalhamos incessantemente a descobrir novos mundos, a devastar novas áreas, inclusive do SEU coração?

Estaremos sempre preparados a definir o porque de nossa situações. Mas precisamos entender que, para que um Justo e Perfeito entendimento seja realizado, necessitamos nada mais do que… um coração lateral batendo no mesmo ritmo que o teu!

E, nesse momento, porque deveras escreveria sobre o Amor? Ela sabe… E o conjunto? Vai Saber…

• Vai Saber é uma obra de Guilherme Oliveira Magalhães. A crônica descrita pode ser copiada desde que citado o autor e, portanto, contatando-o através do email magalhaes.guioliveira@gmail.com

• Crônica  escrita em 26 de junho de 2016